sábado, 5 de novembro de 2011

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente




Desabafo Pessoal sobre o vídeo...

(Reparem como um dos "jornalista" cai em contradição)

"Eu não sou muito de ficar falando aqui no blog principalmente sobre a minha vida pessoal e pelas coisas que passei, mas esse tipo de opinião me deixa extremamente embasbacado."

Peraí, tem muito adolescente de 14 anos substituindo sim o trabalho de um adulto, e a empresa não mede esforços nenhum para ensinar esse "menor aprendiz", que executa, qualquer trabalho até mesmo os braçais, com a mesma eficácia que um adulto e as vezes até melhor, só que com a empresa pagando um salário bem abaixo da tabela. E a empresa é quem sai prejudicada? Prejudicada em que, quando na maioria das vezes, a pessoa foi explorada ''incentivada'' pela própria familia a permanecer no emprego, pois nosso país não dá a minima estrutura para a tão conhecida hoje em dia como ''classe C'', eu falo por experiencia própria, quando tive a minha primeira experiencia trabalhista com 12 anos de idade, na qual eu era, entregador de jornais, levantava entre às 1:30, 2:00 da manhã para embalar os jornais, fazia um trageto de mais ou menos 13km, todo santo dia, de domingo à domingo, fazendo chuva ou frio, mas tudo bem esse ''emprego'' foi eu quem quis, por isso não reclamava e até curtia, pois ia na presença de mais 2 amigos. Passado essa experiencia, aos 14 entrei para uma empresa de Elétrica e Ferragens para exercer a função intitulada de ''auxiliar continuo'', que muita gente deve conhecer como o famoso faz tudo. Aonde eu realmente fazia de tudo, o trabalho não era dos mais leves e muitos menos dos mais limpos, e só um detalhe, eu tenho renite alérgica, então imagine eu em meio aquela poeira toda, pois é, mas mesmo assim, segui em frente com o emprego, fazendo todas as funções e sempre tentando fazer o melhor, com o salário de R$300,00 Reais/mês sem benefícios e nem direito a salubridade, já que eu mexia com eletricidade, enfim, tinha uma carga horária de 9 hrs/dia, lembrando que eu tinha 14 anos e ganhava R$300,00 Reais para fazer o mesmo trabalho de um adulto que ganhava em sua folha de pagamento não menos que R$890,00 (o que na época era um pouco além do sulficiente). Tive várias outras experiencias trabalhistas que só me comprovaram que, o ser humano podendo ter o poder em mãos, vai pintar e bordar, vai fazer mal uso do poder com total certeza, esse é o lado B do país que ninguém vê, ou pelo menos fingem não ver, as lei somente comprovam que tudo na teoria é lindo, honesto e blá blá blá, mas a prática é que vale, ela que edifica tudo, nada se faz somente com o pensamento, o errado em nosso país é que muitos ganham para ''pensar'', enquanto outros tantos são explorados para colocar em prática com o minimo básico de assistência, trabalham em condições horríveis e decadentes. E isso vai demorar a mudar, enquanto não nos colocarmos na situação do nosso semelhante, e não tivermos um tino de humanidade e de caridade, continuaremos nesse país em que às leis são incriveis, na teoria e no papel, mas a prática é tremendamente medonha e cai sobre os menos favorecidos sem dó nem piedade alguma. Paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário